Negativação do SPC Serasa - Pontes - O seu escritório legal

Negativação do SPC Serasa

Negativação do SPC Serasa e você está ansioso na frente daquele engravatado analista de risco aguardando o crédito solicitado. Após esperar aquela angustiante busca no sistema, você é informado que o seu CPF está negativado no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) ou na Serasa, por contrair uma dívida não quitada.

Como ser indenizado por negativação errônea no SPC/Serasa?

Chocado e envergonhado você puxa na memória alguma possibilidade de boleto não pago, mas percebe que o seu nome foi jogado numa lista de mau pagador injustamente.

O que fazer? Cabe uma indenização? Neste artigo você vai aprender um passo a passo para limpar o seu nome e receber uma justa indenização por danos morais.

Faça pesquisas rotineiras

Para não passar por uma surpresa desagradável como à citada acima, a primeira providência é você adquirir o hábito de pesquisar a situação do seu nome registrado no cadastro positivo.

Quando for solicitar um financiamento pra comprar veículo, imóvel, montar um negócio, entre outros interesses, faça uma consulta prévia sobre sua situação cadastral, através de duas plataformas gratuitas informando o seu CPF, nome completo, data de nascimento, celular e e-mail; obtendo assim, uma pontuação sobre sua reputação de saldar compromissos financeiros.

Você deve consultar os sites da Serasa Experian e Boa Vista SPC, sendo que o primeiro apresenta os seus dados bancários e de instituições financeiras e o outro, coleta suas relações comerciais com as lojas credenciadas.

Encontre a falha do sistema da negativação do SPC Serasa

Quando constatar que o nome está em uma lista negativa injustamente, o consumidor deve verificar todo o seu comportamento financeiro analisando todas as contas, pois é muito comum acontecer erros grosseiros, entre estes:

em muitos casos, o consumidor pagou tudo dentre os conformes, mas a empresa mantém ou faz a inscrição indevida do CPF no SPC apontando dívida pendente.

outra falha rotineira é a negociação de uma dívida entre as partes, mas o credor não retira o nome devedor do cadastro de SPC no prazo de 5 dias úteis. É importante frisar, que um acordo parcelado também retira o CPF da lista de mau pagador.

é muito comum que o seu nome possa aparecer como solicitante de um serviço que você nem saiba da existência. Com a facilidade de obter dados cadastrais pela internet, muitos golpes e fraudes são aplicados sujando sua reputação indevidamente.

muitas vezes você cancelou a prestação de um serviço, mas a empresa mantém seu registro na lista de cobrança e sem perceber você adquire uma dívida e o seu CPF é negativado de maneira errada.

Comprove a negativação indevida

A primeira providência para limpar o seu nome é tirar um print ou uma foto do registro de negativação. A imagem deve conter o nome e o CNPJ da empresa credora, o valor da dívida, a data de aquisição do produto ou serviço e o número do contrato.

Em posse destes dados, o primeiro passo é procurar um entendimento direto com a empresa detalhando todo o processo desta confusão. Porém, não se esqueça de arquivar e gravar todas as fases deste contato, pois poderá ser anexado como prova em um futuro processo judicial, caso a empresa se recuse a corrigir seu erro.

Se não houver consenso, o próximo passo é procurar as plataformas extrajudiciais como o Procon, Reclame Aqui e o Consumidor.gov. Nelas você poderá descrever todo o acontecido anexando todas as suas provas, sendo que a maioria das empresas tentam solucionar este equívoco, pois temem os danos contra a sua imagem mercadológica.

O Procon é o único destes, que além do universo online você pode contatar presencialmente na cidade em que reside.Se todo este desatino persistir você deve procurar os juizados especiais, cuja proposta é alcançar um resultado mais ágil destas ações que envolvem o direito ao consumidor.

Contudo, se o reclamante apresenta um passado de registro no SPC, ele pode ter sua indenização rejeitada conforme o entendimento de muitos tribunais.

Dependendo do caso, é importante você procurar um escritório de advocacia especializado no assunto utilizando o Pontes.app.

Paciência com o relógio jurídico contra negativação

Em média, uma ação por dano moral leva entre 1 e 3 anos para ser concluída pelo tribunal responsável. No entanto, isso pode diminuir se houver acordo entre as partes envolvidas. É preciso ficar atento também quanto ao prazo de prescrição.

Conforme o Código Civil (2002), uma ação por danos morais ou físicos dispõe de um prazo de até 3 anos. Nas hipóteses de inclusão indevida em cadastro de inadimplentes mostra-se razoável o arbitramento da indenização por danos patrimoniais em montante situado entre 1 e 50 salários mínimos, devendo o julgador, com base nas circunstâncias fáticas, fixar o valor mais adequado ao caso concreto.

Baixe o aplicativo Pontes no seu celular!

APPLE: https://apps.apple.com/br/app/pontes/id1535206366
ANDROID: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.pontes

APPLE: https://apps.apple.com/br/app/pontes-advogado/id1535206635
ANDROID: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.pontes.advogado